sábado, 24 de junho de 2017

RAZÕES PARA NÃO ME MUDAR PARA O EXTERIOR, AO MENOS POR ENQUANTO


 A violência e a bancarrota da política brasileira me fizeram pensar em morar na Europa.

Já morei lá e muito viajei antes e depois.E domino razoavelmente o idioma alemão.
Na Alemanha é raro o assalto, se é que existe, não tem lixo no chão, não tem acidente de trânsito como aqui, não se fecham rodovias, nem se obstruem ruas, não há " gatos" de  energia elétrica, não tem lava jato, nem arrastão nos restaurantes, nem explosão de agências bancárias, nem, nem , nem
 

Mas pensando bem e com bom humor, vou elencar algumas razões que me fizeram repensar o assunto.

 

Como abandonar meus amigos  e, nessa altura, conquistar outros ao menos da mesma qualidade?

Como abandonar meus livros, relíquias, lembranças, troféus, prêmios da Expointer, botas, tênis, ponchos, palas, cobertores de penas de ganso?

Como vender a fazenda de Unistalda?

Como abandonar o apartamento na parte mais linda de P. Alegre, que é a Duque de Caxias, na frente do Solar dos Câmara?

Como abandonar nossa casa na melhor praia do mundo que é Xangri La?

Onde encontrar um supermercado parecido com o Avenida, de Xangri La?

Como deixar de colocar flores no cemitério de Santa Cruz nos jazigos familiares a cada dia de finados?

Como deixar de colher macelas sexta feira santa?

Onde encontrar linguiça parecida com a do Schuster em Santa Cruz?

Como deixar de ir em  nosso escritório de advocacia?

Como vou fazer sem erva mate lá nas Europas?

Como ficar sem o almoço de domingo no restaurante da Sociedade Orpheu de S. Leopoldo?

E as cabeças de porco que compro no mercado público , asso no forno e vou comendo a semana inteira?

E como vou me sentir sem os chotos, chinchulins e riñones de Rivera?

E onde vou conseguir mocotó no inverno das Europas?

Como vou fazer no Exterior se aqui faço tudo por telefone e aceitam meus cheques, pois não uso cartão de crédito?

Como vou fazer sem a carne de cordeiro de Santiago e Unistalda?

E sem os torresmos de porco da dona Alzira ( Casa da Granja) de Tabaí?
Claro que vou contar com a proteção de Frau Glock, com seus três carregadores, se alguém invadir minha casa no Brasil

E, last but not least,

E  galeto do Regis, e a Saba, e os programas da TV Pampa gravados no veraneio em Atlântida? , será que Paulo Sérgio Pinto não entraria em depressão sem  minha presença, sujeito a um ato tresloucado?

sexta-feira, 23 de junho de 2017

DE NUEVO ESTOY DE VUELTA

De nuevo estoy de vuelta
Después de larga ausencia
Igual que la calandria
Que azota el vendaval
Y traigo mil canciones
Como leñita seca
Recuerdo de fogones
Que invitan a matear

( JOSE IGNACIO RODRIGUEZ)

........................
Cumpri meu período sabático. Andei por Europas,Franças e Bahias, olhei casas, espiei possibilidades. Recorri caminhos alemães passados.
Tudo muito lindo, lindo.
Mas me convenci que   no Brasil está ruim, mas tá bom.
Entonces de nuevo estoy de vuelta.
Quarta - feira já tenho sustentação oral na 4a. Câmara Cível do TJRGS.
Tenho bala para pousar em outras latitudes.
Mas meu  ninho ainda é aqui.
É aqui que deitamos raízes há mais de 100 anos e progredimos como nunca meus avós poderiam imaginar.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

JOSÉ NEDEL CONSAGRA-SE COMO POETA BRASILEIRO DE PRESTÍGIO

José Nedel é magistrado, filósofo, erudito, sério. Eis o honroso mail que me enviou.


Caro amigo magistrado/escritor Ruy Armando Gessinger,

 

Para seu conhecimento, comunico que acabei de conquistar o 1º lugar em poesia, com um soneto intitulado Água & Vinho, no concurso literário promovido pela Fundação Educacional do Sport Club Internacional/FECI e a Casa do Poema Latino-Americano/CAPOLAT, edição de 2017. Premiação agendada para a próxima sexta-feira, dia 23-6-17, a partir das 19h. Local: Gigantinho, 2º andar, sede da FECI, na v. Padre Cacique, desta Capital.  Documento anexo: Resultado 2017. Transcrevo abaixo o soneto vencedor, em forma clássica camoniana, um dos meus poemas bem executados. Deo gratias por ter conseguido escrevê-lo e por ainda haver apreciadores dessa forma literária em geral olimpicamente desprezada pelos versejadores desta época.

Um forte abraço.

José Nedel

 

 

 ÁGUA & VINHO

  

      José Nedel

 

 Há no meu cálice mais água do que vinho,

 Símbolo que é das coisas meramente humanas,

 Boas e más, as racionais como as insanas,

 Que eu aprontei ao longo de áspero caminho.

   

 Andando em companhia de outros ou sozinho,

 Por matas densas, ralos campos ou savanas,

 Por altibaixos e também paisagens planas,

 Sempre evitei pisar em cobra, cardo e espinho.

   

 A água no cálice progride até o altar.

 Bem misturada ao vinho, irá se consagrar

 Em sacro rito a que me humildemente inclino.

   

 Unidos, muito embora em partes desiguais,

 Água e vinho são símbolos sacramentais

 Da mística união do humano e do divino.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

VOLTANDO, NAS ASAS DA TAP

Depois de mais de um mês na Europa, chegou a hora de voltar. De Frankfurt até Lisboa são três horas de vôo. A chegada a Lisboa sempre é encantadora. Hospedamo-nos de novo no Hotel Fênix na Praça Marquês de Pombal. Um calor gostoso. Nas minhas longas viagens posso dizer que dois locais ponteiam em matéria de gentileza: Lisboa e o Rio de Janeiro.
Cedo da manhã tomamos o táxi que nos levou ao Aeroporto de Lisboa. Super organizado, seguranças muito educados.
E, tal como viemos, embarcamos no avião da TAP , que vai direto a P. Alegre.
Me perdoem a falta de modéstia. Mas prefiro viajar mais espaçadamente, a cada três anos, mas sempre na Business Class. Nada de ficar apertado como sardinha, mesmo porque de Lisboa a P. Alegre são dez horas de vôo.Na First Class não tem problema de  acesso ao banheiro, podes dormir com o corpo todo na horizontal, com travesseiro, cobertor e tudo. Podes olhar filmes e reportagens no visor que tens à frente,  optar por ouvir música e as possibilidades são várias.
Ao entrar na área da Primeira Classe já te espera um espumante gelado e a viagem assim vai com vinhos, ótimas comidas e muito carinho.
De novo notei que a TAP coloca  senhoras como comissárias, o que é ótimo. Muito inteligente essa opção pois cria um clima de muito respeito. E os comissários são extremamente gentis.
Só para incomodar meus queridos leitores e minhas adoradas leitoras, aqui vai o cardápio do que foi servido durante o vôo.




sábado, 17 de junho de 2017

A FILARMONICA DE BADEN BADEN AO AR LIVRE




Estamos no verão e por aqui só fica escuro lá pelas dez da noite.
Ontem ao anoitecer fomos assistir a uma apresentação ao ar livre da Philarmonie Baden Baden.
O povo respira cultura.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

FÉRIAS NO INTERIOR DA ALEMANHA, PEQUENAS OBSERVAÇÕES

Verdade, me esqueci de esclarecer algumas coisas. Fui criado entre violinos e pianos. Não gosto de barulho, som alto, gritaria.
Me agrada o silêncio, pouca mas boa comida, bons vinhos e "sekts", caminhadas, observar e respeitar o espaço dos outros.
Assim, quem gosta de zoeira, aqui não é o lugar para passear. Um pagodeiro morreria de tédio em 24 horas.
Que estranho!!! Quase não vejo ninguém dedilhando ao celular.
Outdoors  nas estradas? Nem pensar.
Buzinas? Não ouço.
Que estranho!
(Por enquanto muito obrigado amigo Heinz  Schaeffer) vielen Dank lieber Freund Heinz Schaeffer






POR QUEM OS SINOS DOBRAM

Santa Cruz, onde nasci, tem uma magnífica catedral. Quando eu era criança me dava paz e alegria ouvir seus sons, mesmo de madrugada.
Pois na Alemanha das pequenas comunidades é prazeroso ouvir o sino dar as horas ou convidar para o culto.
Catedrais seculares se mantém eretas e imponentes. Impera a liturgia, a seriedade, o respeito.
Na igreja aqui de Sankt Martin, onde me encontro, há uma atmosfera de elevação e espiritualidade.
Tudo é uma questão de história e de cultura.







terça-feira, 13 de junho de 2017

VIVENDO UMA ALEMANHA QUE SONHEI E ACHAVA NÃO EXISTIR MAIS

As megalópoles são todas iguais, mas é nas pequenas comunidades que se aprecia a natureza de um povo.
Mas tem um senão, é quase impossível essa percepção sem ter boas noções​ do idioma e assim poder conversar com as pessoas.
Estamos num lugarzinho romântico e sem stress.









segunda-feira, 12 de junho de 2017

UM PEDACINHO DO CÉU NO INTERIOR DA ALEMANHA. CHAMA-SE SANKT MARTIN









É uma bucólica região, cheia de videiras, pequenos caminhos cercados de floresta, pequenos e aconchegantes restaurantes. No alto da montanha situa-se um ótimo hotel, Haus am Weinberg, onde estamos hospedados. 





domingo, 11 de junho de 2017

MAIS DUAS OBSERVAÇÕES DO MEU QUOTIDIANO NA ALEMANHA



O tênis é um dos esportes favoritos. Hoje fui jogar com  um importante executivo alemão, perto de Baden Baden.
Regra para os sócios do clube: terminado o jogo os atletas tem que  molhar a quadra, passar a rede no chão e limpar as linhas, para que a quadra fique zero bala.
Não há funcionários para isso.
Assim, os próximos que jogarem deverão obedecer ao mesmo procedimento.
O único clube em que acontece isso, que eu conheci, se situa em SANTIAGO - RS.
...
É trivial senhoras idosas irem ao supermercado fazer compras. Ao passarem na caixa entregam sua carteira à funcionária, que a abre, tira o dinheiro necessário,  faz o troco  coloca na carteira, fecha e devolve à idosa.
É mole?

sexta-feira, 9 de junho de 2017

VISTA DESLUMBRANTE DO ALTO DA MONTANHA NAS RUÍNAS DE UM CASTELO MEDIEVAL

O castelo fica no ponto mais elevado da região de Baden Baden.
Dele se vislumbra inclusive o rio Reno.
A subida é penosa, leva mais de uma hora, mas vale a pena.